Aqui deixo depoimento, quiçá um comentário
Em forma de agradecimento por ora declaro...


Amigos que aqui se encontram nesta extensão de Um Sábado Sem Fim
Durante a semana a saudade de vocês é tanta que a ansiedade não cabe em mim
Em boa hora chegou esse Blog para quem saiba enfim Estejamos juntos não só aos sábados, mas em todos os dias, sejam bons ou ruins
Na verdade vos digo o quão prazeroso é para mim
Ter vocês como amigos que espero seja para sempre assim...


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Gol do Douglas, Filho do Silvio.

Cobrança de escanteio, confusão dentro da área, Douglas - filho do Silvio - sutilmente puxa a bola, sai da confusão e avança em direção ao gol adversário, tira um oponente com um corte e diante do gol , ameaça chutar, o goleiro cai mas consegue voltar pro lance, com uma puxadinha, Douglas - filho do Silvio, não se esqueça - o tira da jogada e toca no canto, para o fundo das redes, golaço.


Vejam o vídeo, diz mais que qualquer palavra:

video



Esse foi gravado para a posteridade, mas serve de parâmetro para outros tantos que aconteceram no Sábado Sem Fim, inclusive marcados pelo próprio, senão mais belos, com a mesma desenvoltura que claramente aprendeu ao ver o pai – o Silvio – e seu tio Sérgio marcarem tantas vezes, desde sua tenra infância.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Nosso amigo Caio

Sábado, 06 de novembro de 2010.


Estivemos na casa do Chande e sua esposa Milena, celebrando o chá de bebê de seu tão desejado e querido filho. Por lá apareceram outros amigos, dentre eles o Caio, que tive o prazer de conhecer quando de minha apresentação a essa família que hoje atende pelo nome de Sábado Sem Fim. O Caio é deficiente auditivo, mas é incrível como se faz entender -não pela força- e entende também aquilo que dizemos. Acredito que seja pela simpatia e pela amizade que conquista com facilidade daqueles que se aproximam dele, grande pessoa, inclusive no tamanho, diga-se de passagem. O Caio jogava no gol no Mais de Trinta, que antecedeu o Sábado Sem Fim quando conseguíamos formar três times ou na falta de algum goleiro, quando não, jogava na linha mesmo, na defesa, se fazendo valer do porte físico para acabar com a jogada do ataque adversário. À época tínhamos três goleiros, ele, o Cosmo e o Miro que está com a gente até hoje, digo, jogando e aprontando das suas, que Deus dê ao Miro longevidade para se manter entre nós. Perguntei ao Caio por que não volta a participar conosco no futebol ou mesmo acompanhando, mas ele disse que não. Talvez não tenha mais pique, quem sabe? O importante é que ele está bem, forte como sempre e nos deu o prazer de sua presença, a mesma que, tenho certeza, todos os componentes do Sábado Sem Fim gostariam de compartilhar mais vezes, por isso mantenho em aberto o convite para o retorno de tão agradável e querido amigo.

Caio, nosso amigo, quando quiser apareça, a família também é sua.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

As 10 regras do Futebol de Rua, o verdadeiro futebol de macho!



Quem não jogou nunca vai aprender a jogar.

1. A BOLA

A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a merendeira do irmão menor.
Na zoeira, dá-se uma tapa na cabeça daquele que está de boné que ao cair também se torna objeto “chutável” e portanto, bola. (Sérgio)

2. O GOL

O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos, os livros da escola e até o seu irmão menor.

Portões de garagens no famoso “três dentro, três fora” ou na famosa rebatida, Também se transforma em gol. (Sérgio)


3. O CAMPO

O campo pode ser só até o fio da calçada, calçada e rua, rua e a calçada do outro lado e, nos grandes clássicos, o quarteirão inteiro.

Corredor de escola com a demora do professor, também vira campo e se duas salas estiverem sem professores, está formado ambiente para o clássico. (Sérgio)


4. DURAÇÃO DO JOGO

O jogo normalmente vira 6 e termina 12, pode durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

Dependendo das condições e ânimo dos dois times, pode acontecer outra virada após o alcance de 12 gols e terminar 24 e assim sucessivamente. (Sérgio)


5. FORMAÇÃO DOS TIMES

Varia de 3 a 70 jogadores de cada lado. Ruim vai para o gol. Perneta joga na ponta, esquerda ou a direita, dependendo da perna que faltar. De óculos é meia-armador, para evitar os choques. Gordo é beque.

Alguns, de tão ruins, só são aceitos para buscarem a bola no mato ou nas ribanceiras em que ela, a bola, insistia em cair. (Sérgio)


E o Dono da bola joga em qualquer posição.(Chande)


6. O JUIZ

Não tem juiz.

Na verdade, cada um é o juiz, tem aqueles que ao perder a bola pede falta e dá início a discussão, porém, “A regra é clara”, pediu falta, mão, parou a jogada, geralmente, após xingamento geral, cobra-se a falta. (Sérgio)

NOTA: Ainda é assim no Sábado Sem Fim e provavelmente na maioria onde jogam sobreviventes daquela bela época.


7. AS INTERRUPÇÕES

No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada em 3 eventualidades:

a) Se a bola entrar por uma janela. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola. Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.

b) Quando passar na rua qualquer garota gostosa. Acréscimo: Geralmente é irmã de algum componente do jogo. (Sérgio)

c) Quando passarem veículos pesados. De ônibus para cima. Bicicletas e Fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, é Gol.

Acrescento mais algumas: Quando o vira-lata de algum jogador estiver na torcida, aguardando seu dono e a bola passa perto dele que de imediato abocanha a redondinha furando-a, ou se no quintal onde ela cair tiver também um vira lata que também a abocanha para acabar com a alegria de todos, principalmente do vira-lata que está lá à beira do campinho balançando o rabo de alegria, ou até mesmo quando alguém do jogo vir uma pipa mandada e sair correndo desesperadamente atrás, mesmo que essa pipa esteja a um quilometro de altura e cair uns três bairros distantes. (Sérgio)


8. AS SUBSTITUIÇÕES

São permitidas substituições nos casos de:

a) Um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer lição.

b) Jogador que arrancou o tampão do dedão do pé. Porém, nestes casos, o mesmo acaba voltando à partida após utilizar aquela água santa da torneira do quintal de alguém.

Já vi ser utilizado outro tipo de água santa, mas cada um pode imaginar que água era essa. (Sérgio)

c) Em caso de atropelamento.

Em caso de chegar alguém melhor, alguém maior que imponha respeito e já manda sair ou em caso do pai estar chegando do serviço. (Sérgio)


9. AS PENALIDADES

A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro.

Nos tempos outrora quando não havia bueiros seria atirado no córrego. (Sérgio)



10. A JUSTIÇA ESPORTIVA

Os casos de litígio serão resolvidos na porrada, prevalece os mais fortes e quem pegar uma pedra antes...

Aqui também pode levar vantagem o dono do vira-lata ou o que tiver mais irmãos participantes, o que era comum, então a briga era feia ou bonita, dependendo do ponto de vista de cada um, isso se conseguisse enxergar alguma coisa depois. (Sérgio)


QUEM NÃO JOGOU, PERDEU UM DOS MELHORES MOMENTOS DA VIDA.

E quem tiver mais à acrescentar que se manifeste...